brotou uma dor no peito...

Ainda não consegui chorar... oh meleca.......
Tomei uma decisão na minha vida que confesso que não pensei que fosse ser tão difícil como está sendo.
Começou o ano, sem perspectiva de aumento ou qualquer coisa do gênero e eu entrei em pânico. Detesto não poder fazer planos, não ter como fazer as coisas que gosto.
Bem, baixei a cabeça e fui pedir ajuda para meus pais para voltar a morar na casa deles (casa que está alugada). Isso foi mais difícil prá mim do que qualquer outra coisa. É assumir que não to conseguindo fazer as minhas coisas sozinhas com 41 anos de idade. E olha que faço e muito. Mas não to conseguindo mais e pelo andar da carruagem com as despesas fixas do jeito que estão vou ficar trancada dentro de 4 paredes por muito tempo e isso já me deixou maluca.
A primeira vista esta foi a melhor saida. Deixo de pagar aluguel + condomínio + iptu, para ajudar minha família com a mesma quantia na qual o inquilino já estava pagando há 5 anos sem aumento nenhum. Enfim.. .vamo que vamo.
Tudo lindo? não, nada lindo.
A minha mãe é contra, porque é casa, sabe que eu não gostaria de voltar lá por uns motivos, mas o verdadeiro nem passa pela cabeça dela. Infelizmente ela nunca teve esta sensibilidade quanto ao que passei e aos sentimentos que ficaram depois que o Luiz morreu.
Meu pai gostou, a gente se acertou e por incrível que pareça com ele eu acho que a coisa ficará mais leve do que eu imaginava.
To triste. Muito triste.
Desde que isso tudo começou (dia 5 fará um mês da decisão), a minha mãe só fala do dinheiro que eu vai sobrar, que agora eu tenho como guardar, já falou coisas que eu nem quero escrever.. enfim... de lá prá ká, pouco nos falamos e quando ligo a sensação é que desligue logo que eu tenho mais o que fazer.
To sentida? MUITOOOOOO. QUERO COLO SIM. To triste. Quando eu penso em morar lá me dá um misto de alegria com uma dor no peito que eu tenho vontade de sumir.
Já pensei de tudo! De ir lá e falar, para tudo, enfia a casa no cú e eu prefiro continuar me fodendo do que ter que aguentar falatório e o que eu tenho que fazer na minha vida.
Ao mesmo tempo falo não porque não estou em condição financeira para fazer qualquer coisa. Mas tá difícil.
E prá variar terei que fazer tudo sozinha, porque nunca tenho ajuda deles prá nada e quando fui pedir to sentindo como favor. Isso tudo que desde que resolvi sair de lá para morar fora e me bancar ela nunca achou justo eles não me ajudarem pelo fato de ser filha única e todo um discurso besta e quando eu peço ajuda fico com este gosto amargo que parece um favor.
Será que eu to muito triste e esta tristeza está trazendo a tona um monte de merda que já tive que ouvir e passar lá? fora é claro a perda do Luiz que me matou um pouco? Nesta semana a cena que meio a cabeça foi eu entrando em casa no dia que ele morreu. Eu sozinha, a casa do jeito que a gente tinha deixado de manhã, mas agora indo pegar roupa e dormir na mae dele para não ficar sozinha e no outro dia velório, enterro e adeus.
Nossa. isso tá me deixando doida de pedra.
Tô uma pilha de nervos e um sentimento de solidão que está me deixando tonta e sem rumo
O que fazer?
Volto atrás? Já entrei em contato com a Imobiliária e já disse que vou sair. nossa.. Preciso de um help. Mas quem???? to me sentindo muito sozinha.....

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

mundo globalizado