Desebafo

Tenho passado nos últimos dias por situações alheias a minha vontade e desejo. Porém, quando eu penso que to no fundo do poço eu olho do lado e vejo que tem pessoas mais descompensadas do que eu.
Coração é terra onde ninguém anda e não dá pra comandar e simplesmente ame ou deixe de amar. Tudo bem.. mas tem um ponto na qual tenho lido muito e ouvido também... ame a si mesmo.
Eu cai sim. Fiquei no chão, chorei, me descabelei, fui pro inferno e voltei. Como eu mesma digo é uma dor que dói no fundo da alma. Meu Deus. A sensação de rejeição e saber que o outro não ama a gente é o fim do mundo. Digo e repito, é melhor lidar com a morte que é uma separação definitiva do que a separação de gente viva.
Enfim... ontem presenciei uma cena de filme de horror. Uma amiga que gosta de um garoto que infelizmente não corresponde há altura do sentimento e ai ela ficou transtornada com uma cena que ele aparece no bar onde estávamos, participando de um happy hour que era cobrado por pessoa, o cara pega uma cerveja, come e simplesmente levanta e vai embora sem pagar e ela ficou sentida por isso.
Lógico que a história é um pouco mais profunda, ela como qualquer outra mulher se agarra a qualquer palavra, gesto ou sinal que possa ser direcionada a nós para que a gente  mude de postura e ache que o “cara” queira ficar com a gente. Ledo engano. Como estava de fora, presenciei uma cena dantesca de falta de amor próprio dela e filhadaputisse dele. Como é terrível. Ela ficou transtornada e ainda foi contra a gente.
Como é que a gente pode fazer isso com a gente? Com a nossa vida, com as pessoas ao redor? A vida da gente se resume a viver pela migalha de amor e felicidade do outro? Como é que depositamos no outro o motivo da gente viver?? Tem alguma coisa errada que não está certa nisso não. Chega..
Dá um basta nesta porcaria de pseudo relação que não vai levar a nada e nem a lugar algum. Chega de se maltratar. A vida já tem tantos percalços que vem sem a gente pedir e  a gente tem que ainda terceirizar mais problemas ainda? Ainda mais tratando de sentimento AMOR.
Socorro.. Não quero isso não. Quero  viver feliz. Quero a minha vida feliz como eu sempre tive e continuarei tendo.  As coisas somente acontecem porque a gente deixa acontecer. As pessoas só fazem conosco o que permitimos. Não é justo com a gente. Mas é falta de amor. Mas de amor próprio. Não existe ser humano no universo que tenha este direito de tirar a alegria dos meus olhos e matar os meus sonhos.
Decretado: chega de choro. Chega de mal amor. Eu quero amar sim mas ser amada e desejada. Cansei também de migalhas. E não falo somente de sexo oposto não. Falo de tudo e todos: família, amigos, trabalho, e tudo que envolve a vida da gente. Não dá pra ser morno. Seja quente ou frio. Mas no meio termo nem pensar.

Não vou dizer que de ontem pra hoje me estou acima do bem e do mal e que agora sou a mulher mais forte e decidida do mundo não. Mas há cada dia farei com que a minha vida seja feliz. Quero e sou feliz.

Tudo é uma questão de manter, a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranqüilo. Do Adriano eu gosto sim. É uma pessoa importante sim, mas hoje está ganhando o segundo lugar na minha vida de novo, de onde ele não deveria ter saído. Em primeiro lugar sou eu com Deus, depois vem os amores. Fiz errado, depositei nele a minha vida/felicidade/amor. Tá loka??? Tá cheirando cola e colocando a tampa na testa? Para!! Quem gosta da gente é a gente mesmo e Deus.
Tem uma hora que a ficha cai. A Vida continua linda e vou partir desta e ela continuará para muitos que ficarão e muitos que ainda virão. Nada muda. O mundo não para pela nossa dor. Vamos em frente. É perda de tempo sofrer e levar a vida há ferro e fogo.
Mais uma vez estou me levantando e seguindo o meu caminho. Peito aberto e o coração tranqüilo. Nada mudou. Apenas a minha forma de encarar depois que mais uma vez as  cenas se repetem na minha frente e fazem eu pensar e repensar no que eu quero pra minha vida
Beijos e me liga! Sempre que quiser.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não Nascemos Prontos - Mário Sérgio Cortella